quinta-feira, novembro 10, 2011


Cavalos de Macaé pedem socorro

Cavalo que morreu no Horto
Foto de Aline Sodero

Temos presenciado e recebido denúncias todos os dias dos maus tratos praticado contra os cavalos em Macaé. O que se vê são alguns carroceiros se apropriarem da força de trabalho destes animais sem respeitar seus limites e  horários de descanso. Tem carroceiro que deixa a carroça no cavalo por 24 horas segundo denúncia que recebemos verbalmente no evento que fizemos com o tema: "Tributo aos Cavalos" que teve como objetivo despertar o olhar da população para o que acontece com estes seres.

O intestino deste animal saiu pra fora após terem medicado de forma errada com
 lacto-purga. A intenção era expulsar o que estava fazendo mal
ao cavalo, pois, havia a hipótese de envenenamento.

Não estamos aqui generalizando nem fazendo campanha para a "abolição" dos cavalos de carroça, não é isto, sabemos que muitos indivíduos e muitas famílias dependem deste trabalho, pois foi passada esta profissão de geração pra geração, e há muitos carroceiros que tratam o animal respeitando seus limites e dando-lhe alimento e descanso adequado. Porém, não vemos fiscalização e punição dos infratores.

Cavalo doente e ainda trabalhando em carroça - Cancela Preta
Foto de Eliana Petrelli

Temos parado crianças que conduzem cavalos para orientá-las. Observamos ainda vários animais que ficam amarrados à linha do trem ao longo da Linha Vermelha. A lei simplesmente é ignorada pelas autoridades que observam os maus tratos e as infrações de braços cruzados. Onde já se viu menores conduzindo cavalos dentro de uma cidade como Macaé?

Ferimento causado pela falta de cuidado
Cicatrizes deixado pelos ferimentos da carroça
Sarna, imagina a coceira que ele sente
Sarna
Barriga muito grande, provável doença
Pelo tamanho da barriga achei que fosse uma fêmea
prenha, mas é um macho.



O verão está chegando e esperamos não ter que presenciarmos o espetáculo de terror ao longo das vias públicas, cavalos sob sol a pino amarrados em pequenas cordas sem água, pasto adequado e doentes. Toda sociedade precisa fazer sua parte. Nós do PAM estamos fazendo a nossa.

Abaixo o material impresso que foi distribuído na 2ª Festa Animal de Macaé (Tributo aos Cavalos), o conteúdo foi pesquisado no site da PEA (http://www.pea.org.br/)

TENHA COMPAIXÃO PELOS CAVALOS.
A Realidade
Os cavalos são usados para tracionarem carroças, para esporte e lazer. São geralmente mal alimentados mal ferrados, não recebem qualquer atendimento veterinário, sendo obrigados a trabalhar além de suas forças, mesmo doentes e famintos. 

São maltratados com carga excessiva e horários exaustivos de trabalho. Alguns praticamente não têm repouso e, quando fraquejam, são açoitados. Não há fiscalização quanto à origem do animal e a qualidade de vida dele. Não há vacinação, exames de saúde, dentre outras coisas.

Quando imprestáveis para o trabalho, são abandonados em beiras de ruas e estradas, normalmente acabam sendo atropelados ou morrem miseravelmente de fome e sede. São entregues aos matadouros, quase na sua totalidade clandestinos, para um abate cruel de onde geralmente são repassados para o comércio como carne de boi. O extermínio de eqüinos, em alguns lugares do Brasil, é um processo cruel, anti-ético e ilegal

No trânsito, são conduzidos por vias de grande movimento, em horários de pico, sujeitos a inúmeros acidentes, quase sempre fatais. Muitas vezes são conduzidos por menores em flagrante desobediência às leis de trânsito e à legislação de proteção à infância e adolescência.

Você viu ou tomou conhecimento de um carroceiro que está maltratando um animal em sua cidade ou próximo à sua residência?

1- Conscientize o proprietário de como tratar o animal (não chicotear, não obrigá-los a carregar e/ou puxar cargas excessivas, não forçá-los a trabalhar debaixo de chuva e/ou sol forte, alimentá-lo sempre, dar descanso, ferrá-lo adequadamente, se doentes, velhos ou prenhes não utilizá-los);

2- Chame a polícia e faça um Boletim de Ocorrência (BO) - (cite o Art. 32 da da Lei Federal de Crimes Ambientais 9.605/98) e o Decreto Federal nº 24.645. Fotografe e/ou filme os animais antes, durante e depois do trabalho - provas e documentos são fundamentais para combater transgressões.

3- Exija a fiscalização do Detran e da Prefeitura, já que os carroceiros desrespeitam o Código Nacional de Trânsito se trafegarem em carroças improvisadas, sem placa, sem sinalização, sem carteira de carroceiro, com cavalos doentes, apresentando perigo para eles mesmos e para o trânsito. Escreva para os jornais. Coloque sempre seu RG, telefone e endereço, para que as cartas possas ser publicadas. Mande e-mail e cartas para autoridades.

- Após ler este apelo, não o jogue fora! Faça sua parte por um mundo melhor: cole-o em algum local público: padaria, supermercado, escola, repartições públicas, bares, no muro da sua casa e outros. Obrigado (a)!
2

2 comentários:

Protetores dos Animais de Macaé - PAM disse...

Comentário da postagem recebido via e-mail:
Muitas vezes ouvi a palavra abestada de alguns!!! Pq tu esquenta tanto??? E so um cachorro ,!!!! E a resposta sabia de um anonimo! vem sempre a mente, E tu o que és , só um humano -desumano!!! Não querem aceitar que nossa responsabilidade é com todos (Amai-vos uns aos outros mesmo que tenham fucinhos, patas, rabos, nadadeiras e asas!! )!

CARLA disse...

Na Aroeira (Macaé) existem muitos carroceiros que comandam seus cavalos visivelmente doentes.
Hoje mesmo, presenciei um animal cego de um olho, magro e com a pata traseira ferida... Atrás dele, uma carroça cheia de areia e pedra.
Me entristeci ainda mais com a humanidade. Lamentável.

Postar um comentário