quarta-feira, maio 04, 2011


Se aparecer um animal no seu caminho, cuide dele...Exemplo a ser seguido.


Apareceu há mais de 60 dias essa gatinha aí da foto. Segundo o veterinario ela é jovem.

Ela entrou no quintal da minha mãe, completamente fraca, parecia estar a beira da morte! E estava. Respiração ofegante, pupilas dilatadas, logo, não se movimentava e outras coisas que nos fizeram acreditar que ela não sobreviveria. Minha mãe a levou ao veterinário, foi diagnosticada uma doença rara. Ela teve que ser alimentada por seringa (alimento na boca), água e até mesmo colocá-la para banhos de sol e etc. Hoje ela se chama VIDA.

Já caminha por tudo, faz seus barulhinhos habituais, já briga com os cachorros e está 99% melhor.

Ficará conosco.

O exemplo a ser seguido é: Se apareceu, é porque sabia que alguém gostava e talvez a salvaria!

Animais não são burros, procuram uma localização exata, até mesmo em momentos de morte.

Minha mãe foi incapaz de fazer o que uma vizinha disse: "Ela já tá quase morta, melhor enterrar assim mesmo!".

Sim! A vizinha queria enterra-la ainda viva!!!! Acreditem!!!!

Aí e pergunto: Que país é esse que as pessoas não são multadas por maus-tratos a animais? Logo o Brasil que é conhecido no mundo por ser um país com pessoas calorosas, amorosas, receptivas!!! Grande engano!

Aí está a foto de VIDA. Meiga, calma e inteligente!
 
Ah, já tínhamos dois yorks, e eu tenho dois gatos. Não poderíamos abrigar mais animais, eu por exemplo moro em apartamento.

Porém, na questão da gata Vida, mamãe disse o seguinte: "Assim que ficar boa, sei que ela pode tomar um outro rumo e sumir de casa, mas isso não importa, o importante é salvá-la!" E ela foi salva, e não abandonou a casa da minha mãe (Graça Carvalho), está lá, firme e forte, já come sozinha, e faz a própria higiene como todos os felinos.

Para Graça Carvalho, o valor da VIDA de um animal não está no dinheiro gasto, nem tão pouco contribuir para maldades com os mesmos. Todos os seres vivos merecem respeito, principalmente animais domésticos pois não foram colocados no mundo à toa, e eles não tem poder de auto defesa. Se estão no mundo é porquê teve algum ser humano pra dar continuação à espécie.

Outra curiosidad​e

Em 1995 eu fui o primeiro a ter gatos persa em Macaé. Em certo momento o casal teve filhotes. Com quatro dias de nascidos eu ouvi miados de filhotes e não eram os de Lina of May Flower e Dark Moon de Narayana (o meu casal persa) e sim filhotes recém nascidos jogados em um terreno ao lado, dentro de um saco fechado.

Eu prontamente peguei os filhotes, limpei com um pano (para tirar qualquer ameaça), e coloquei junto dos outros três filhotes persas para mamar.

A veterinária da época disse que isso era um risco e eu estava deixando a sorte os dois filhotes de persa com os quatro filhotes "vira lata" que havia encontrado.

Algumas pessoas me diziam que isso era um absurdo, deixar vagabundos junto dos persas.

Eu pensei: "não vou deixar nenhum morrer de fome, seja qual for a raça! E que sobrevivam os mais fortes, conforme acontece na natureza."

Um filhote de persa morreu, sobreviveram felizes o outro persinha e os 4 vira latas!

Eu nem pensei em escolha de raças pra mamar. E não me arrependo. Será que o filhote de persa não mamou direito? Será que já nasceu com problemas? Não sei, mas salvei os quatro filhores vira lata!

Abraços a todos,

Por: Kelvin Carvalho
Fonte: Recebido via e-mail
0

0 comentários:

Postar um comentário