segunda-feira, dezembro 26, 2011


Como lidar com medo de fogos e rojões



Por Equipe Cão Cidadão
No vídeo de ontem, mostramos um pouco o que fazer em casos de cães que sentem pavor de barulhos de fogos de artifício. O ano novo se aproxima e, com ele, as tão aguardadas festas de Réveillon! Mas, para muitos cães, este momento pode ser sinônimo de medo extremo, o que não é nada bom... Por isso, hoje, preparamos mais algumas dicas para ajudar os donos e pets que sofrem com esta situação.

Qual a origem?

Muitos costumam afirmar que cães não gostam de barulhos de fogos de artifício ou trovões pois sentem dor no ouvido. Mas, na verdade, o motivo é outro: barulhos muito altos servem para alertar o cão de que algo de errado está acontecendo; significa, literalmente, perigo! O medo, portanto, nada mais é do que instinto de sobrevivência!
Mas, muitas vezes, o cachorro acaba passando por um susto muito grande quando ouve fogos de artifício, o que pode levá-lo, em situações posteriores, a sentir muito medo, mesmo que o estímulo não seja tão grande. Por exemplo: pode começar a respirar de forma ofegante apenas ao ouvir um único estouro ao longe...

Quais os sinais de medo extremo?
Cães que apresentam verdadeira fobia ao som de fogos de artifício costumam babar muito, perdem o apetite, respiram com dificuldade e ficam o tempo todo procurando um lugar seguro para se esconder, geralmente algum local menor do que eles. Nestas situações, podem acabar se machucando ao tentar pular uma cerca ou muro, por exemplo.

O que fazer?
Assim, mesmo considerando que a cura para fobia de fogos de artifício é muito difícil, há algumas dicas que podem ajudar a amenizar a situação para o cão:
- em momentos de estouro de rojões, é indicado distrair o amigo com os brinquedos de que ele mais gosta, fazendo do momento algo prazeroso. O ideal é dar petiscos nesta hora também. Assim, a associação com os barulhos começa a ser positiva;
- se o peludo demonstrar medo, o dono deve sempre manter uma postura que transmita a sensação de segurança; por mais que se tenha pena, não se deve abaixar para confortar o cãozinho: ele entenderá que o dono também está com medo;
- os cães, nesta situação, costumam buscar um local para se esconder. Não se deve privá-lo disso. De preferência, deixar um cômodo livre para que ele possa se aninhar, se possível fechando janelas e portas para que o som seja abafado, o que trará conforto neste momento. Um rádio ligado com uma música tranquila e num volume alto melhorará ainda mais o ambiente. E caso seja possível já começar a acostumar o cão neste local, brincando com ele, na noite de ano novo a tendência é que ele já faça uma boa associação deste local e se sinta mais seguro ali;
- é importante tomar cuidado com fugas: cães amedrontados podem tentar fugir para longe do barulho. Por isso, o ideal é manter o cão devidamente identificado com uma plaqueta na coleira, onde constem o nome dele e um telefone para contato. De qualquer forma, para evitar fugas, deve-se verificar se cercas, portões e portas estão bem trancados;
- além disso, alguns cães chegam a quebrar portas de vidro, ferindo-se gravemente, para tentar se refugiar. Por isso, nunca esquecer de verificar se o local onde ele estará abrigado é seguro e livre de perigos.
Se o caso já for caracterizado como fobia (o cão treme muito, baba, arfa, não tem apetite e pode até tornar-se agressivo com pessoas que tentem pegá-lo a força) é indicado consultar um especialista em comportamento animal, pois existem treinamentos que podem ser feitos nestes casos, para tentar minimizar o sofrimento dos cães. Um veterinário de confiança pode também prescrever medicamentos ansiolíticos em casos extremos, se for o caso. Importante: todo o tratamento ou treinamento que esteja feito pode regredir drasticamente caso o cão seja exposto ao estímulo que leva ao pavor. Assim, deve-se evitar ao máximo expô-lo à situação num grau elevado.
De qualquer forma, seguindo as dicas acima, é possível amenizar o pavor do cão e mantê-lo em segurança, o que já é um grande passo para evitar acidentes e permitir que todos curtam a passagem do ano!

Texto: Cassia Rabelo Cardoso dos Santos (Adestradora Cão Cidadão)
Revisão e Edição Final: Alex Candido

Dúvida sobre o caso do seu pet? Deixe seu comentário aqui no Blog. Toda semana, a consultora de comportamento da Cão Cidadão, Priscila Felberg, seleciona e responde perguntas dos internautas no Consultório Pet.

Para saber mais sobre os serviços de adestramento e consultas comportamentais da Cão Cidadão, acesse o site www.caocidadao.com.br.

Fonte: http://noticias.r7.com/blogs/dr-pet/2010/12/21/como-lidar-com-medo-de-fogos-e-rojoes/


Imagem: http://www.amazon.co.uk/Dog-Firework-Phobia-CD-Fireworks/dp/B004AV1WKC
0

0 comentários:

Postar um comentário