quarta-feira, março 21, 2012


Protetores dos Animais de Macaé precisam de novos voluntários

"Apesar das nossas diferenças temos uma batalha a vencer: Proteger os indefesos"

Na próxima quinta-feira, grupo ativista vai comemorar seu terceiro aniversário

20/03/2012 - 12h54m - Atualizado em 20/03/2012 - 12h54m

Prestes a completar três anos de existência, o grupo ativista Protetores dos Animais de Macaé (PAM), vai realizar uma reunião na próxima quinta-feira (22). Além de comemorar o terceiro aniversário, a equipe estará recebendo novos voluntários que desejam dedicar um pouco do seu tempo pelas causas animais.

De acordo com a fundadora do PAM, Eliana Petrelli, atualmente apenas quatro pessoas dedicam grande parte do seu tempo para lutar por políticas públicas e promover ações pedagógicas a favor dos animais. Além disso, o grupo faz um forte trabalho de divulgação de animais para adoção e animais perdidos e também faz a integração com o movimento nacional de proteção.

“Precisamos muito da ajuda voluntária de pessoas que se importam com as causas. Só quem trabalha com isso no dia a dia sabe como é difícil. E por ser um trabalho que exige dedicação, muitas pessoas acabam desistindo. Há cinco anos, desde quando eu estava ainda em outra ONG, venho lutando para montar uma equipe e não consigo. Caso a PAM não consiga atrair novos voluntários, para dividirmos as tarefas, teremos de diminuir ou mudar nossas metas, e na pior das hipóteses, fechar. Essa já é a segunda reunião que estamos fazendo e realmente esperamos um apoio da população. 

Nosso trabalho é totalmente focado na prevenção, promovendo ações de conscientização, levando a informação. Se tivéssemos muitas pessoas dispostas a dedicar apenas 30 minutos do seu dia, como atualizar as páginas das redes sociais, ficar encarregado pela parte de achados e perdidos, nós, que estamos nessa luta, ficaríamos menos sobrecarregados. Nos dedicamos muito e graças a Deus tivemos resultados muito positivos já, como uma pessoa que perdeu seu animal e foi encontrado no mesmo dia. Infelizmente poucas pessoas levam isso à frente”, explica Eliana.

No início, o PAM também se dedicava ao trabalho assistencialista, mas por conta da inviabilidade, ele acabou sendo restrito apenas a prevenção. “Nós fazíamos o recolhimento de animais, esterilização, mas não tinha como dar continuidade. Hoje a gente se dedica a fazer o trabalho mais difícil que é o de políticas públicas e ação pedagógica. Acredito que se não trabalharmos em cima dos problemas macro, como leis, políticas de proteção, educação nas escolas, conscientização da população, não teremos como tratar problemas micro, como resgate animal, adoção. Claro que cada trabalho tem sua importância, mas devemos brigar de frente pelas grandes causas também”, destaca.

Quem tiver interesse em ingressar na equipe, a reunião será nesta quinta-feira, das 17h às 20h, na Lyra dos Conspiradores, localizada na Rua do Sacramento, 63 - Centro. “Queremos que o pessoal novo passe a fazer esse trabalho com a gente, até porque eles têm muita energia para lutar pelos direitos dos animais. 

Queremos pessoas que se comprometam, sem interesses, apenas em prol dos animais e de todos. Nem que dediquem apenas 20 minutos, meia hora do seu tempo por dia, toda ajuda é bem-vinda e o PAM espera que a população macaense abrace essa causa”, finalizou Eliana.



 





0

0 comentários:

Postar um comentário